Nisto Cremos

O Deus Trino
Cremos que há um só Deus infinito, auto-existente e eternamente soberano do universo, criador e administrador de tudo que existe, santo na Sua natureza, atributos e propósitos; que Ele, como Deus, é trino no Seu ser, revelado nas suas três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo - (Dt. 6: 4-5); (Mt. 28: 19-20); (Mt. 3: 16-17); (II Co. 13:13);

Jesus Cristo
Cremos que Jesus Cristo, a segunda Pessoa da Santíssima Trindade, é eternamente um com o Pai; que sendo o próprio Deus, encarnou pelo poder do Espírito Santo e nascendo de uma virgem chamada Maria e, assim, duas naturezas perfeitas e completas, Divindade e Humanidade, se uniram em uma só pessoa, verdadeiro Deus e verdadeiro homem – o Deus-homem. Cremos que Ele morreu pelos nossos pecados e verdadeiramente ressuscitou dos mortos, tomando de novo o Seu corpo, juntamente com tudo o que pertence à perfeição da natureza humana, e com isso subiu ao céu de onde intercede por nós – (Mt. 1: 20-25); (Jo. 1: 1-18); (Fp. 2: 5-11); (Cl. 1: 12-22); (I Jo. 2:1-2);

O Espírito Santo
Cremos que o Espírito Santo é a terceira pessoa da Santíssima Trindade, estando sempre presente e operando eficientemente dentro da Igreja de Cristo e com ela, convencendo a humanidade do pecado, regenerando aqueles que se arrependem e crêem, santificando os crentes e guiando em toda a verdade como está em Jesus – (At. 5:3-4); (Jo. 16: 7-11); (II Ts. 2 13); (I Pe. 1: 1-2); (I Jo. 3: 24);

As Escrituras Sagradas
Cremos que as Escrituras Sagradas são plenamente inspiradas pelo Espírito Santo, as quais entendemos os 66 livros do Antigo e Novo Testamentos, revelando sem erros à vontade de Deus a respeito do homem em tudo que é necessário salvação, de maneira que o que não se encontra nela não pode ser imposto como artigo de fé – (II Pe. 1: 20-21); (I Pe. 1: 10-12); (II Tm. 3: 15-17); (Jo. 17: 17);

O Pecado Original e Pessoal
Cremos que o pecado veio ao mundo através da desobediência dos primeiros seres humanos, Adão e Eva, e pelo pecado veio a morte a todos os homens; que se manifesta de dois modos: pecado original ou depravação herdada e pecado atual ou pessoal. Cremos que o pecado original difere do pecado pessoal, em que o primeiro constitui uma propensão herdada para o pecado pessoal, pela qual ninguém é responsável até o momento em que se rejeita o sacrifício de Cristo. Já o pecado pessoal constitui uma violação voluntária da vontade conhecida de Deus – (Sl. 51: 5); (Rm. 5: 12); (I Jo. 1:7-8); (Rm. 3: 23); (I Jo. 1: 9); (I Jo. 3: 7-10); (Jo. 8: 34-36); (Jo. 16: 8-9);’

A Expiação
Cremos que Jesus Cristo, pelos seus sofrimentos, pelo derramamento do Seu próprio sangue e pela Sua morte meritória na Cruz, fez uma expiação completa para todo o pecado humano, e que esta expiação é a única base para a salvação, sendo suficiente para cada pessoa da raça de Adão. A salvação é benignamente eficaz para a salvação dos irresponsáveis e para as crianças na inocência, mas somente é eficaz para a salvação daqueles que chegam à idade da responsabilidade, quando se arrependem e crêem – (Is. 53: 5-6); (Mc. 10: 45); (Lc. 24: 46-48); (Jo. 1: 29); (Jo. 3: 14-17); (Rm. 3: 21-26); (Cl. 1: 13-22); (Tt. 2: 11-14); (I Pe. 1: 17-21);

O Livre Arbítrio/Graça Preveniente
Cremos que a criação da raça humana à imagem de Deus inclui a capacidade de escolher entre o bem e o mal e que, assim, seres humanos foram feitos moralmente responsáveis; que pelo pecado se tornaram depravados, de maneira que não são capazes de voltar a se reabilitar pelas suas próprias forças e obras, e, desta forma, renovar a fé e a comunhão com Deus. Mas também cremos que a graça de Deus mediante Jesus Cristo é dada gratuitamente a todos os seres humanos, capacitando todos os que queiram converter-se do pecado para a retidão, a crer em Jesus Cristo para perdão e purificação do pecado, e a praticar boas obras agradáveis e aceitáveis à Sua vista. Cremos que todas as pessoas, ainda que possuam a experiência de regeneração e inteira santificação, podem cair da graça, apostatar-se e, a menos que se arrependam do seu pecado, ficam eternamente perdidas e sem esperança. A imagem de Deus e a responsabilidade moral. (Gn. 1:26-27); (Gn. 2:16-17); (Ez. 18:1-4); (Rm. 1:19-20; (Rm. 2: 1-16); (Gl. 6:7-8); Graça gratuita e obras de fé: (Ez. 18:25-26); (Rm. 5:6-8, 18); (Rm. 6:23); (II Co. 5:18-19); (Ef. 2:8-10);

A Inteira Santificação
Cremos que a inteira santificação é aquele ato de Deus, subseqüente à regeneração, pelo qual os crentes são libertados do pecado original, ou depravação, e levados a um estado de inteira devoção a Deus e à santa obediência do amor tornado perfeito. É operada pelo batismo com o Espírito Santo e compreende, numa só experiência, a purificação do coração e a permanente presença íntima do Espírito Santo, dando ao crente poder para uma vida santa e para serviço. A inteira santificação é garantida pelo sangue de Jesus, realiza-se instantaneamente pela fé, precedida pela inteira consagração; e desta obra e estado de graça o Espírito Santo testifica.

A Inteira Santificação
Cremos que há uma distinção bem definida entre um coração puro e um caráter maduro. O primeiro é obtido instantaneamente, como resultado da inteira santificação; o último resulta de crescimento na graça.“Pureza do coração”- (Mt. 5:8), (At. 15:8-9), (I Pe. 1:22), (I Jo. 3::3); “Batismo com o Espírito Santo”- (Mt. 3:11-12), (Lc. 3:16-17), (At. 1:5), (At. 2:1-4), (At. 15: 8-9);“Santidade cristã “ – (Jo. 15:1-11); (Rm. 12:1); (II Co. 7:1); (Fp. 1: 9-11); (Cl. 3:17); (I Ts. 3:13); (I Ts. 4:7-8); (I Ts. 5:23); (Hb. 12: 14); (I Pe. 1:15-16); (II Pe. 1:1-11);

A Igreja
Cremos na Igreja, a comunidade que confessa a Jesus Cristo como Senhor, o povo da aliança de Deus feito novo em Cristo, o Corpo de Cristo chamado e congregado pelo Espírito Santo através da Palavra. Deus chama a Igreja a exprimir a sua vida na unidade e comunhão do Espírito; na adoração através da pregação da Palavra, na observação dos sacramentos e no ministério em Seu nome, pela obediência a Cristo e responsabilidade mútua. A missão da Igreja no mundo é a de continuar a obra redentora de Cristo no poder do Espírito, através de viver santo, evangelismo e serviço. A Igreja é uma realidade histórica que se organiza em moldes culturalmente condicionados, existe tanto como um corpo universal quanto congregação local, separa pessoas chamadas por Deus para ministérios específicos. Deus chama a Igreja para viver sob a Sua orientação, enquanto ela antecipa a consumação na vinda do nosso Senhor Jesus Cristo - (Jo. 17:14-26); (Jo. 20: 21-23); (At. 1:7-8); (At. 2: 32-47); (At. 6:1-4); (At. 13: 1); (Hb. 10:19-25);

A Segunda Vinda de Cristo
Cremos que o Senhor Jesus Cristo voltará outra vez, e que nós, os que estivermos vivos na Sua vinda, não precederemos aqueles que morreram em Cristo Jesus, mas que, se permanecermos n’Ele, seremos arrebatados com os santos ressuscitados para encontrarmos o Senhor nos ares, de sorte que estaremos para sempre com o Senhor – (Mt. 25:31-46); (Jo. 14:1-3); (At. 1:9-11); (Fp. 3:20-21); (I Ts. 4:13-18); (Hb. 9:26-28); (Ap. 1:7-8); (Ap. 22: 7-20);

A Ressurreição, o Juízo e o Destino
Cremos na ressurreição dos mortos, que tanto os corpos dos justos como dos injustos serão ressuscitados e unidos com os seus espíritos – “os que tiverem feito o bem, sairão para a ressurreição da vida; e os que tiverem feito o mal, para a ressurreição da condenação”. Cremos no juízo vindouro, no qual cada pessoa terá de comparecer diante de Deus, para ser julgada segundo os seus feitos nesta vida. Cremos que uma vida gloriosa e eterna é assegurada a todos aqueles que crêem em Jesus Cristo, nosso Senhor, para salvação e O seguem em obediência; e que os que são impenitentes até o fim sofrerão eternamente no inferno - (Sl. 50: 6); (Is. 26: 19); (Dn. 12: 2-3); (Mt. 25: 31-46); (Lc. 16: 19-31); (Jo. 3: 16-18); (At. 17: 30-31); (Rm. 2: 1-16); (I Co. 15:12-58); (Ap. 20: 11-15); (Ap. 22: 1-15)

Adoração
A Missão da igreja no mundo começa com a adoração. É quando nos congregamos diante de Deus em adoração, cantando, escutando a leitura pública da Bíblia, dando nossos dízimos e ofertas, orando, escutando a Palavra pregada, batizando e participando da Santa Ceia, que sabemos mais claramente o que significa ser o povo de Deus. Nossa crença de que a obra de Deus no mundo é feita primariamente através de congregações que adoram, leva-nos a entender que a nossa missão inclui receber novos membros na comunhão da igreja e organizar novas congregações voltadas ao mesmo propósito. A adoração é a mais elevada expressão do nosso amor a Deus. É adoração centralizada em Deus, honrando Aquele que por Sua graça e misericórdia nos redime. O contexto primário da adoração é a igreja local, onde se reúne o povo de Deus, não em experiência auto centralizada ou para autoglorificação, mas para se render e oferecer a si próprio. A adoração é a igreja em serviço amoroso e obediente a Deus. A adoração é o primeiro privilégio e responsabilidade do povo de Deus. É a reunião, diante de Deus, da comunidade do pacto, em proclamação e resposta celebrativa de quem Ele é, o que Ele tem feito o do que promete fazer.

Compaixão e Evangelismo
Como povo consagrado a Deus, compartilhamos Seu amor pelo perdido e Sua compaixão pelo pobre e quebrantado. O Grande Mandamento e a Grande Comissão compelem-nos ao evangelismo mundial, à compaixão e à justiça. Para este fim, nós nos comprometemos a convidar pessoas à fé, a cuidar dos que sofrem necessidades, a nos levantarmos contra a injustiça e a favor do oprimido, a trabalhar para proteger e preservar os recursos da criação de Deus e, também, a incluir na nossa comunidade todos os que clamam pelo nome do Senhor.

Discipulado
Nós nos comprometemos a ser, e a convidar outros a serem discípulos de Jesus. Com isto em mente, nós nos comprometemos a prover meios (Escola Dominical, Estudos Bíblicos, pequenos grupos de responsabilidade mútua, etc) através dos quais os crentes são estimulados a crescer na sua compreensão da fé cristã e no seu relacionamento uns com os outros e com Deus. Cremos que o discipulado inclui submetermo-nos à obediência a Deus e às disciplinas da fé. Cremos que devemos ajudar-nos, uns aos outros, a viver uma vida santa, através de apoio mútuo, comunhão cristã e responsabilidade mútua, em espírito de amor. Wesley disse: “Deus nos deu, uns aos outros, para fortalecermos as mãos de cada um.”

Educação Cristã Superior
Nós nos comprometemos à educação cristã, através da qual homens e mulheres são equipados para vidas e serviço cristãos. Nos nossos Seminários, Escolas Bíblicas, Colégios e Universidades, nós nos comprometemos a cultivar o conhecimento, o desenvolvimento do caráter cristão, e a equipar nossos líderes a cumprirem a chamada de Deus para serviço na igreja e no mundo.

Pesquise

 

© 2017 Seminário Teológico Servos de Cristo. All Rights Reserved. Designed By JoomLead